Neuralink: Conquista da Comunicação Cérebro-Computador por Elon Musk

Adicione o Google Discovery em seu feed do Google News.

Neuralink: A Conquista da Comunicação Cérebro-Computador
Publicado em: 2 de fevereiro de 2024

Por Agencia EON

Neuralink, a startup de chips cerebrais fundada pelo bilionário empresário Elon Musk, alcançou recentemente uma conquista significativa ao implantar com sucesso seu revolucionário chip cerebral em um paciente humano. Em 29 de janeiro, Musk anunciou que o primeiro receptor do implante cerebral estava se recuperando bem e que os resultados iniciais mostravam sinais promissores de detecção de picos de neurônios. Esses picos representam a atividade dos neurônios, que são células especializadas no cérebro que transmitem informações por meio de sinais elétricos e químicos.

Implante cerebral da Neuralink e sua revolução na comunicação cérebro-computador.
Chip (ou Interface Cérebro Computador) da Neuralink. — Foto: Divulgação/Neuralink

Essa conquista inovadora foi possível após a obtenção de autorização da Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) no ano anterior, permitindo que a Neuralink prosseguisse com seu primeiro teste em humanos. Essa aprovação regulatória marcou um passo crucial na missão da Neuralink de auxiliar pessoas que lidam com paralisia e diversas condições neurológicas.

Em setembro, a Neuralink já havia recebido autorização para começar a recrutar participantes para o teste em humanos. O estudo envolveu o uso de um sistema robótico para implantar cirurgicamente uma interface cérebro-computador (ICC) em uma região específica do cérebro responsável pelo controle das intenções de movimento. O objetivo final desse empreendimento é capacitar indivíduos a controlar cursores de computador ou teclados apenas com seus pensamentos, uma conquista notável possibilitada pelos finos fios do implante que transmitem sinais dentro do cérebro dos participantes.

Elon Musk também revelou que o primeiro produto a surgir da Neuralink seria chamado de “Telepatia”, enfatizando ainda mais o compromisso da empresa em avançar na comunicação cérebro-computador. O estudo PRIME em andamento foi projetado para avaliar a segurança da interface cérebro-computador sem fio e do robô cirúrgico usado no processo de implantação. Até o momento, a Neuralink não forneceu detalhes adicionais em resposta às perguntas da Reuters.

Embora as realizações da Neuralink sejam indiscutivelmente inovadoras, a empresa enfrentou escrutínio sobre seus protocolos de segurança. Relatos anteriores no ano revelaram que a Neuralink foi multada por violar as regras do Departamento de Transportes dos Estados Unidos (DOT) relativas ao transporte de materiais perigosos. Além disso, surgiram preocupações após registros veterinários indicarem problemas com implantes cerebrais em macacos, incluindo casos de paralisia, convulsões e inchaço cerebral. Em resposta a essas preocupações, Elon Musk afirmou que nenhum macaco morreu devido a implantes da Neuralink e que a empresa escolheu macacos “terminais” para minimizar os riscos para indivíduos saudáveis.

O valor da Neuralink foi estimado em aproximadamente US$ 5 bilhões no junho anterior, mas, no final de novembro, quatro parlamentares solicitaram à Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) que investigasse se Musk havia fornecido informações precisas aos investidores sobre a segurança da tecnologia. Apesar desses desafios e controvérsias, o progresso da Neuralink no campo da tecnologia de chips cerebrais continua sendo um desenvolvimento significativo na busca por aprimorar as capacidades humanas e abordar condições neurológicas.

Artigos relacionados

Assine

Newsletter
Receba as novidades da EON na sua caixa de mensagens